Atleta Pedro Neves do IPP Brasil aproveita a quarentena para se manter em forma e informar a população

O atleta do IPP Brasil, Pedro Neves, segue aproveitando as oportunidades que a vida proporciona, mesmo com a quarentena devido a pandemia do Coronavírus, o atleta segue se reinventando.

Além de seguir com o seu trabalho na Enel, empresa de energia elétrica do estado do Rio de Janeiro, onde cuida dos chamados da população, encaminhando os técnicos para serviços externos,  função que ele faz em casa no chamado home office, Pedro segue treinando e se preparando para as futuras competições no atletismo. Mais precisamente no salto em distância, modalidade onde já conseguiu várias conquistas. Porém, o foco mesmo agora é o Taekwondo, modalidade que Pedro está migrando e já na sua primeira competição ficou com o terceiro lugar no Brasileiro.

“Eu estou em contato direto com meu treinador. Ele me passa os exercícios e eu faço em casa, não é como se tivesse em uma academia, mas me auxilia nesse período”. Destacou.  

Pedro é um batalhador. Mesmo com todas as dificuldades, ele consegue fazer o trabalho que precisa, além de tirar coisas boas de cada atividade. “Eu estou adaptando meu treino, agora que me mudei então, estou aproveitando tudo, até as trilhas que tem aqui perto da minha residência. Tá sendo muito legal, pois eu estou em contato direto com a natureza, aproveito para respirar o ar puro e como quase não tem movimento de pessoas transitando eu posso treinar tranquilo”. Contou Pedro.

O atleta tem acompanhado seus colegas e fala sobre como estão se preparando, principalmente os que já tinham, ou estavam próximos de conseguir o índice para as Paralimpíadas de Toquio, que foram adiadas para agosto de 2021.

“Eu tenho contato com alguns atletas que iriam para as Paralimpíadas, o Emanoel Victor e a Tuany Barbosa. Chegar em uma Paralimpíada é a realização da carreira de um atleta, além de um grande feito para o clube. Todos vem treinando em casa e buscando suporte com outro, eles se ajudam muito. O problema é que mexeu muito com o ciclo olímpico deles. Agora mudou tudo, fica a dúvida de rendimento, como você vai se preparar? Acredito que nessa competição teremos desempenhos inferiores e o atleta que se cuidar vai ter o melhor resultado, basta se manter bem fisicamente e psicologicamente. Acredito que não vai ter quebra de record, porque não vai ter tempo ideal para uma preparação. Destacou.

Para tentar ajudar treinadores, atletas e a comunidade em geral, Pedro estreia nesta quinta dia 14 as 17 horas, uma série de entrevistas para motivar todo esse pessoal. “A ideia é seguir temas parecidos. Qual foi a influência e motivação que você teve ao me conhecer durante os treinos e me ver treinando. Vamos falar sobre treinamento, conversar com alguns que me treinaram, como foi ter contato com um atleta paralímpico pois eles não conheciam o esporte. Saber Qual é a influência que você transmite para o próximo”. Disse.

A série de entrevistas terá início nesta quinta-feira (14) às 17 horas e o primeiro entrevistado será o educador social e professor de escolinha de futebol, Getulio Ferreira. Ele possui um projeto nas favelas do Rio de Janeiro onde o objetivo principal é tirar crianças e adolescentes do tráfico de drogas, dentre vários outros. “Eu queria muito que ele fosse o primeiro, aí conseguimos arrumar as agendas para esta quinta, mas o restante das entrevistas a minha ideia é que sejam as segundas e sextas as 20 horas”. Finalizou Pedro.

 Você pode acompanhar as entrevistas pelo instagran do atleta Pedro Neves.  @pedro_velocista.

Share Button
Empresas Parceiras
Unilehu