Das mesas de negócios de um importante banco para as pistas e quadras no esporte paralímpico.

Formado em economia e em educação física, Walcyr Santos não entrou no esporte por acaso. Mesmo trabalhando por 19 anos em um importante banco brasileiro, ele nunca se distanciou do esporte. Dividia sua rotina das mesas de negócios, com a atividade de atleta profissional de basquete. Walcyr jogou por vários times no Rio de Janeiro e por oito anos atuou pela modalidade em alto nível.

Após parar de jogar profissionalmente, seguiu por mais um tempo na área administrativa, mas pouco tempo depois decidiu mudar radicalmente sua vida. Se formou em educação física e iniciou seu trabalho com crianças, na iniciação no basquete e também em uma escola de ensino infantil e fundamental, dando aulas.  Ele gostou tanto da ideia que acabou criando sua atual empresa, a “Brincando Pra Valer”, com foco em crianças do ensino infantil, fundamental, em festas e recreação infantil.

“Eu tenho graduação em economia e educação física. Foram 19 anos no mercado financeiro. Por conta da minha questão de ser atleta, fui atleta profissional de basquete, isso sempre foi meu desejo. Pensando sempre em misturar as áreas, a economia e a educação física. Aí fui parar na escola, e em escola você entra em um processo de transformação de vidas. Quando chegou essa atividade, tive mais certeza do que eu queria e ela veio para coroar essa minha escolha”. Comentou.

Em abril de 2015, Walcyr chegou no IPP Brasil, onde assumiu mais um desafio na sua carreira, supervisionar atletas com deficiência. Em um projeto onde os mesmos ficam por um período de 12 horas semanais dentro da empresa, e as outras 28 horas se dedicam para o esporte, treinando e se preparando para competições com o objetivo de se manter em alto nível.

“Quando cheguei no IPP Brasil percebi que o meu objetivo de transformar vidas continuaria. Não só no esporte, mas em todas as áreas da vida, a financeira, relações entre família, profissional, dentre outras. Isso bateu com o que determina o coaching. Aí fui buscar conhecimento e hoje tenho a formação de Coach íntegra Sistêmico”. Destacou.

Trabalhar com atletas com deficiência não foi difícil para Walcyr, pois na iniciação de crianças no basquete, ele teve a oportunidade de trabalhar com alunos com deficiência. “Eu tive uma pequena experiência com o basquete com deficientes intelectuais e auditivos. Quando veio essa oferta, não foi difícil porque eu já tinha essa bagagem do convívio. Então meu trabalho foi direcionado diretamente para o que já pensava com os atletas”.

A busca pelo conhecimento e a vontade de fazer a diferença na vida das pessoas de Walcyr não para. O objetivo do coach é se preparar para ser treinador. “Agora estou me preparando para trabalhar com atletas no atletismo, concluí o primeiro nível de formação de técnico, para poder auxiliar o Fernando que é o nosso treinador e estar habilitado para o  fomento e quem sabe descobrir novos talentos para o IPP Brasil. Profissionalmente é mais um desafio, é uma possibilidade de desenvolvimento profissional em outras áreas, de sair da escola para o esporte de alto rendimento. Isso tem sido um desafio gratificante e eu tenho aprendido cada dia mais e me ajuda para pensar em ser um técnico no futuro. Vejo um futuro muito legal pra minha profissão”. Contou.

Outro ponto importante citado por Walcyr é a força de vontade dos atletas e destaca que eles são cobrados da mesma maneira que os atletas convencionais.

“A questão da superação, as pessoas colocam limites nas coisas e esses atletas todos os dias nos mostram o quanto eles são perseverantes, determinados, e isso eu trago pra minha vida, cada dia é uma lição que eles nos ensinam. O fato de eu ter sido atleta me ajuda muito para entender o que acontece com cada um, pois eu vivi isso, e me ajuda para que eu possa cobrar o planejamento e o crescimento deles. Consigo passar pra eles e com isso temos vários exemplos.

O coach comemora o momento atual e fala sobre a importância do IPP Brasil nessa sua trajetória. “O IPP Brasil foi um presente na minha vida. Me deu a oportunidade de trabalhar com atletas de alto rendimento e vem me dando a possibilidade de buscar coisas novas, como por exemplo, essa minha formação como técnico do atletismo. Com isso a gente aprende muito e coloca um pouquinho do que a gente sabe, isso pra mim é muito gratificante”.

Flávio Toledo, presidente do IPP Brasil fala da importância de ter o Walcyr trabalhando e orientando os atletas. “Ele é um profissional competente, dedicado, com uma grande capacidade. Tem nos ajudado muito no desenvolvimento dos atletas e isso nos deixa tranquilo em saber que ele está lá cuidando dessas questões. Assim formamos uma equipe muito forte e os resultados nós estamos vendo nas competições que nossos atletas participam”. Disse o presidente.    

No último Parapanamericano disputado em Lima, no Peru. O IPP Brasil foi representado por três atletas: Tuany Barbosa, do atletismo, Daniel Silva e Anderson Santos do Vôlei Sentado e o treinador Fernando Oliveira. Nossos atletas voltaram com o ouro no vôlei, e uma prata e um bronze com a atleta Tuany Barbosa no atletismo. Para Walcyr, isso é fruto de muito trabalho e ele acredita que para as Paralimpíadas de Tóquio, no Japão, no ano que vem, o IPP Brasil será representado muito bem por esses atletas e acredita na participação de outros ainda.

“Tenho a absoluta certeza que vai ser muito melhor, com o excelente trabalho que está sendo realizado e a qualidade dos nossos atletas, o IPP Brasil vai colocar mais atletas nas Paralimpíadas. A minha expectativa é que tenhamos mais dois ou três atletas lá em Tóquio”.  Walcyr tem 57 anos, é casado, tem dois filhos, Filipo e Frederico e tem uma netinha que é o seu xodó, ele faz questão de encerrar falando da neta. “Não posso deixar de falar da Laura, ela é um espetáculo na minha vida, um presente de Deus para todos nós”. Encerrou sorrindo Walcyr.

Share Button
Empresas Parceiras
Unilehu