Ouro nas pistas e na solidariedade

Sem poder brilhar nas pistas conquistando medalhas, a atleta do IPP Brasil Tuany Barbosa brilha com ações para a comunidade.

A medalhista de bronze no último Jogos Parapanamericanos, em Lima, no Peru, Tuany Barbosa, segue se cuidando e achou uma forma de ocupar seu tempo, já que não pode sair de casa para treinar.  A atleta que teve vários problemas de saúde após uma lesão que sofreu, hoje faz parte do grupo de risco.

“Eu peguei uma gripe, mas graças a Deus nada que veio assustar. Tem muita gente morrendo com esse vírus, mas eu estou muito bem. Sigo mantendo meu corpo ativo, estou evitando muito sair de casa até pelo meu histórico. Eu tive embolia pulmonar no tempo que fiquei internada”. Destacou.

Além de seguir se preparando física e psicologicamente, Tuany aproveitou a boa imagem que tem na comunidade, onde cresceu, para arrecadar alimentos e ajudar as famílias que mais precisam.

“Foi muito especial. Um dia eu já precisei de cesta básica e aqui no Rio muita gente já passou por isso. Eu estava passando com a minha mãe quando uma vizinha acabou falando que estava a dois dias sem comer nada, que acabou tudo dentro de casa e que não tinham nem leite. Eram o marido, a esposa e sete crianças. Tanto que na hora minha mãe foi em casa e pegou o que tinha e deu pra essa família. Fiquei muito chateada com aquilo e aquela história não saia mais da minha cabeça.” Disse emocionada.

 “Recebi um convite da minha amiga Cecília para participar de uma live com ela. Aproveitei a oportunidade e pedi doação. Vários amigos compartilharam meu vídeo e juntos fizemos tantas cestas, que eu não acredito que consegui fazer. Quando vimos haviam mais de 50 cestas e eu vibrei com isso. Eram cestas e que as pessoas poderiam comer tranquilo. Foram para famílias que estavam em situação precária. Lembro que as pessoas choravam e eu me emocionei muito com isso. Só gratidão”. Completou.

A atleta também aproveita a quarentena para matar a saudade do judô e dos seus antigos alunos.  Tuany está substituindo um amigo que adquiriu a Covid-19 e segue afastado. “Essa fase é pra matar saudade dos meus alunos. Com o meu dia a dia dos jogos eu não consigo mais vê-los. Aí meu amigo me pediu pra colaborar e eu estou fazendo as aulas online com eles. Tô   muito feliz, não consigo abraçar eles mas vale muito a pena. São três turmas que eu me divirto todas as manhãs”.  

Sobre a sua preparação, Tuany contou que segue muito bem, com a cabeça boa e tem certeza que vai conseguir passar por mais esse momento e que irá realizar seu sonho que é participar de uma Paralimpíada. Ela estava em São Paulo praticamente a 20 dias, fazendo parte da seleção. “Eu estava muito ansiosa pra competir e conseguir a minha marca. Estava praticamente pronta para a primeira competição pós regional, que é o que valeria a pontuação pra Tóquio. Mas veio o vírus e não tem como controlar. Tento me manter motivada e sei que  tenho chances reais”. Disse Tuany.

Ansiosa para que tudo isso passe, Tuany conta o que quer fazer quando estiver liberada. “A primeira coisa que eu quero é voltar a treinar, voltar pro campo, empurrar meu peso. Eu fiquei muito tempo trancada e quando eu iniciei no atletismo, eu me acostumei com esse contato com a natureza e isso está me fazendo falta”.

O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) ainda não definiu como ficarão as próximas etapas, mas Tuany quer estar pronta para quando voltar. “Vamos aguardar o comitê. Acredito que teremos mais duas competições nesse ano. É treinar, treinar e treinar, focada para quando as competições vierem e para se manter no ranking internacional”.

E pra fechar a guerreira do IPPBrasil, deixa uma mensagem. “Gente, não desistam dos seus sonhos. Não deixem aquele plano que você sentir no coração, de lado. Eu fiz isso e esse sonho de ajudar as pessoas foi realizado. Tudo passa, e quando isso acabar, poderemos abraçar as pessoas e vamos sair diferentes de tudo isso. Fiquem todos com Deus e sei que tudo isso vai passar. Complementa.

Share Button
Empresas Parceiras
Unilehu